PortuguêsEnglish

Blog

wingspan-big.jpg
2022.11.29

Wingspan

Os jogos da Stonemaier ficaram famosos quando o proprietário, Jamey Stegmaier, postava no blog todos os aspectos de sua próxima campanha Kickstarter. As pessoas se sentiram confiantes com suas lutas, pensamentos e soluções.

Depois de algum sucesso, Stonemaier criou outro hit. Desta vez, o jogo não foi desenhado por Jamey, mas pela novata Elizabeth Hargrave. Wingspan (que está atualmente no nível mais alto no BoardGameGeek) permite coletar pássaros que fornecem poderes especiais, que se acumulam turno após turno. Comprei como presente de Natal para minha esposa no ano passado e se tornou um dos mais jogados de nossa coleção.

Ovinhos

Pontos Positivos

Componentes e arte, Deus do Céu, são todos de alta qualidade e adoráveis. O tabuleiro, as cartas, a torre de dados, os ovos… ohhh… nem fale dos ovos coloridos. A cor não tem nenhum significado de jogo, mas eles são adoráveis. As pessoas sempre reagem ao ver aqueles ovinhos.

O cuidado na criação de cada cartão de pássaro é surpreendente. O texto das cartas é rico em detalhes, e a maioria deles tem uma implicação real no próprio jogo. Tamanho da ave, padrão de reprodução, tipo de alimentação… tudo é baseado na realidade!

Existem pássaros objetivamente melhores do que outros, mas os objetivos e bônus externos podem aumentar a utilidade dos pássaros em cada jogo. Considerando também a quantidade de cartas, pelo menos por uma questão de rejogabilidade, é uma grande vantagem.

O valor central deste jogo é o mecanismo de engine building (efeito cascata). Cada vez que você pegar um novo pássaro, seus poderes serão usados nas rodadas subseqüentes. Assim, ao final da partida, alguns combos muito poderosos serão criados. É muito gratificante acionar um combo que gera vários pontos!

Componentes do wigspan

Pontos Negativos

Este jogo é um multijogador solitário: embora você possa manipular um pouco os recursos e as cartas de pássaros, é melhor forcar em “fazer o seu melhor”. Meus sobrinhos estavam vidrados o tempo todo, mas principalmente comentando sobre a aparência dos pássaros e imaginando seus próximos passos.

É muito difícil acompanhar os tabuleiros de outras pessoas. Portanto, é realmente difícil contra-atacar. Ninguém fará anotações mentais rastreando outros jogadores. Mas para quem realmente faz isso, pode representar uma grande vantagem estratégica.

As habilidades são divertidas, mas exigem muita leitura para serem compreendidas. Embora o texto não seja longo, a fonte é um pouco pequena.

A torre de dados, apesar de bonita, está sujeita a danos ao longo do tempo. Já não o utilizo nas minhas partidas, de forma a preservá-lo.

Componentes do wigspan

My Rating:9★★★★★★★★★
maxresdefault-1994702608.jpg
2022.11.26

Indieweb: Tomando as rédeas das Redes Sociais

Durante a campanha para Deputado, tive de transformar minhas redes sociais numa verdadeira plataforma de vendas. Todas elas tinham de estar super alinhadas com o mesmo propósito.

Eu já devia ter instalado/contratado algum gerenciador de redes sociais, como Hootsuite ou Zoho Social (Zoho é meu fornecedor de serviços online a anos), pois isso não é uma tarefa trivial. Eram mais de 8 redes. E muitos dos conteúdos são cópias um do outro.

Além da dificuldade de gerenciar as várias redes, há uma confusão de qual o conteúdo que eu divulgaria como oficial. Canônico. Em especial as redes que são essencialmente competidoras.

  • Twitter ou Mastodon?
  • Tiktok ou Youtube Shorts ou Instagram Stories?
  • Facebook ou meu blog?

Piora substancialmente com histórias como a tomada do Twitter por Elon Musk. Ele tem feito tantas alterações na plataforma que não é impossível de pensar que a empresa eventualmente quebre. Assim, anos de conteúdo seriam jogados fora. E as mudanças constantes de regras e permissões?!

Indieweb: O dono do conteúdo sou EU

Para tratar algumas destas preocupações, estou tentando centralizar a fonte da informação para um sistema que eu tenho total controle. E nada melhor que este site mesmo para ser o responsável. Aqui eu faço o que eu quiser, otimizo imagens (uma preocupação minha que nunca tive muita disciplina era tirar os metadados das imagens), personalizo sua aparência. Este então fica como a central oficial do que eu faço.

POSSE é o prática do Publish (on your) Own Site, Syndicate Elsewhere (Publique no seu site, sindicalize em todo o resto), ou seja, publicar links ou cópias nas outras redes sociais sempre citando a fonte original do conteúdo, para que qualquer um possa te seguir diretamente na fonte.

Republicar no Twitter e Mastodon é fácil pois são geralmente textos e poucas imagens. Os sites da Meta/Facebook são mais chatos porque são mais ricos em conteúdo e não tem API para automatizar. Os de vídeo são ainda mais trabalhosos, pois hospedar vídeos pessoalmente é bem custoso (sempre achei que o Youtube faz um trabalho quase humanitário em hospedar tamanho volume de dados).

Por hora, devo manter os conteúdos antigos em suas plataformas de origem. Gradualmente vou tentar escrever unicamente aqui. Eventualmente começar a inclusive exportar todo o conteúdo antigo destes serviços para ter back e colocar estático no site.

Microformats, Fediverse e Webmention

Para adequar o site para ser o centro do universo online, algumas alterações precisam ser feitas:

✅ Facilitar que os computadores também consigam entender o site

Implementei também os microformatos no site e nos conteúdos, para que qualquer outro sistema que ler o site, consiga extrair as informações principais: o autor, título, conteúdo, data de publicação. Várias destas informações já aparecem visualmente no site. Como humanos, conseguimos entender facilmente, mas os computadores não. Por isso uma série de modificações foram feitas para que os conteúdos sejam também facilmente entendidos pelas máquinas.

Separar os diferentes tipos de conteúdo

Como uso o blog como uma ferramenta de textos mais longos, devaneios e ideias, estou pensando em criar listas específicas para pequenos textos (tweet/toot) e talvez imagens (hoje o site tem uma tag que aponta para meus posts de fotos. Assim cada coisa seria melhor indexados e encontrada. Blog e notas. O meu gerenciador de sites, Hugo, permite várias abordagens. A questão é como fazer a melhor implementação.

Integrar os comentários, respostas e compartilhamentos feitos em outros sites

Já tentei usar algumas ferramentas de comentários antes, como Discus e Cactus.chat (conceito super legal de usar Matrix como fonte dos comentários). Não tenho muito tráfego aqui, então pouco importaria. Mas o objetivo agora é maior: incluir comentários e repostagens do meu conteúdo feitos em outros sites.

O padrão da própria W3C (organização que padronizar a internet) criou o webmentions, um jeito de formalizar que alguém está comentando o conteúdo de outra pessoa. Só assim eu consigo manter uma grande discussão sobre os conteúdos que eu postei em qualquer rede.

Republicar “automaticamente” os conteúdos escritos aqui nas outras redes sociais

Isso vai levar um tempo, pois vou precisar de usar uma série de serviços externos que vão ler o RSS do meu site e tentar postar nas redes sociais no meu lugar. Essencialmente usar uma solução tipo HootSuite/Zoho Social. Melhor ainda se for open source. Vou investigar o uso do n8n.


Assim que eu conseguir implementar mais coisas, vou colocando aqui. Quero dar o mínimo de trabalho aos próximos que se animarem a ter controle de suas próprias vidas digitais.

Copy of Profile banner.png
2022.08.16

Candidato Mais MASSA de Minas Gerais Vote 3034

Pre candidato bruno massa

Começou a campanha! O candidato do ZEMA especialista em combustível e emprego tem o número 3034!

  • Emprego é Massa!
  • Saúde é Massa!
  • Zema é Massa!
  • Pão de Queijo é Massa!
  • Tudo que é bom é Massa! 👍
616989-delpixart-gettyimages-1136178136.jpg
2022.07.08

Livros de 2022 (Até Agora)

Todo ano eu compilo uma lista (até este ano, somente em inglês) de jogos, livros e filmes/series que eu vi. Esta é a lista provisória destes ano.

Continuo a ler (ouvir na verdade) quase todos os dias nos últimos anos. Esta é na minha rotina diária quando passeio com os cães. É uma proposta bem diferente de deitar e dedicar algum tempo para lê-los. Eu gosto de uma tarefa secundária quando estou executando uma rotina simples, como… passear com os cachorros. Caso contrário, sinto que estou perdendo meu tempo apenas andando e não pensando.

Esta é a lista dos livros deste ano que devorei. Essas listas - definitivamente - não são completas. Como não estou atualizando meus registros pessoais do GoodReads nem escrevendo sobre eles neste blog, eles são apenas os que eu lembro. Posso editar este post se me lembrar de outros itens.

  1. Piranesi (Susanna Clarke) (9★★★★★★★★★): Piranesi mora num lugar fantástico e esquece tudo. Mas também anota tudo. Um grande mistério.
  2. O Poço da Ascensão
    O Poço da Ascensão (Mistborn #2)
    (Brandon Sanderson) (8★★★★★★★★)
    : logo após os eventos do primeiro livro, os protagonistas agora precisam manter o poder que adquiriram. Fascinante.
  3. Roube Como Um Artista
    Roube Como Um Artista: 10 Dicas Sobre Criatividade
    (Austin Kleon) (8★★★★★★★★)
    : ótimo livro curtinho sobre processo criativo. Ele incentiva as pessoas a avançar no trabalho criativo, desconsiderando o autojulgamento. Inspire-se e tente copiar o trabalho de outros para praticar e encontrar uma voz própria.
  4. Siga em frente
    Siga em frente: 10 maneiras de manter a criatividade nos bons e maus momentos
    (Austin Kleon) (8★★★★★★★★)
    : outro trabalho pequeno, mas muito motivacional, de Austin Kleon. Não pare de criar. Faça pequenos trabalhos iterativos até terminar.
  5. Mostre Seu Trabalho!
    Mostre Seu Trabalho!: 10 Maneiras de Compartilhar sua Criatividade e ser Descoberto
    (Austin Kleon) (8★★★★★★★★)
    : outro pequeno pedaço de Austin. Crie um blog, twitter, instagram, conta tiktok e mostre às pessoas no que você está trabalhando. Até mesmo coisas de hobbies, como esboços. Eventualmente, pode se tornar sua obra-prima.
  6. Parable of the Talents (Octavia E. Butler) (8★★★★★★★★): a continuação do excelente Parable of the Sower (Octavia E. Butler) (9★★★★★★★★★), mostra a protagonista e a história de sua filha, anos depois.
  7. The President Is Missing (James Patterson, Bill Clinton) (7★★★★★★★): um thriller de cyber terrorismo. Altamente possível. Com dicas do mundo presidencial feitas por Bill Clinton!
  8. O Poder do Hábito
    O Poder do Hábito: Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios
    (Charles Duhigg) (7★★★★★★★)
    : um livro de auto-ajuda clássico moderno. Começa a pregar o poder de compreender e controlar hábitos. Ela exemplifica, capítulo após capítulo, os diferentes fatos de hábitos que interferem em nossa tomada de decisão. Muito bom.
  9. Different
    Different: Escaping the Competitive Herd
    (Youngme Moon) (7★★★★★★★)
    : ensaio sobre a vantagem competitiva de ser diferente no mercado. Curiosamente, na segunda metade do livro ela reconhece que ser diferente pode não ser importante dependendo da situação e do mercado. Bom livro.
  10. Communication Skills Training
    Communication Skills Training: How to Talk to Anyone, Connect Effortlessly, Develop Charisma, and Become a People Person
    (James W. Williams) (7★★★★★★★)
    : discussão abrangente sobre habilidades de comunicação. Nada fantástico. Mas muito bom.
  11. Justiça
    Justiça: o que é fazer a coisa certa
    (Michael J. Sandel) (7★★★★★★★)
    : vários aspectos filosóficos, situações e abordagens do que é justiça. No entanto, não apresenta respostas definitivas sobre nada.
  12. The 4-Hour Body
    The 4-Hour Body: An Uncommon Guide to Rapid Fat-Loss, Incredible Sex, and Becoming Superhuman
    (Timothy Ferriss) (5★★★★★)
    : várias dicas sobre treino, dieta e rotinas adequadas para obter o corpo que você deseja.
  13. 10X
    10X: A regra que faz diferença entre o sucesso X fracasso
    (Grant Cardone) (4★★★★)
    : jeito de falar de vendedores. Super agressivo, comportamento alfa sobre usar todo o seu poder e disposto a atingir metas e sucesso. Tentei focar as mensagens centrais e a motivação ocasional em suas palavras, mas é difícil não ficar chateado com a atitude dominante do macho alfa.
  14. Think Sex and Grow Rich
    Think Sex and Grow Rich: How to use the power of your sex drive to succeed in business
    (Marcus El) (4★★★★)
    : tenta vender a ideia de que somos movidos pelo sexo e devemos canalizar esse desejo constante para objetivos de negócios. Começa divertido, entção se torna muito tedioso.

Livros que eu li na “segunda metade de 2021” que não tinha em lugar algum

  1. Duna (Frank Herbert) (8★★★★★★★★): li em 3 noites para poder assistir o filme que ia lançar. Adorei.

Para mais livros, olher a lista dos meus livros lidos no GoodReads.

modificado em 2022-07-14 porque eu esqueci alguns livros. Na verdade, eu acho que tem ainda mais.

maxresdefault-1994702608.jpg
2022.06.29

Faces Digitais

Com a pré campanha começando mais fortemente, estou trabalhando sem parar gerando vários vídeos para o Youtube, postando e repostando conteúdos no Twitter, Instagram e Facebook (este ainda está bem confuso, mas explico depois).

Além disso, estou num processo de unificação da identidade visual e segmentação dos conteúdos.

Site

Estou constantemente fazendo alterações no meu site. Ele deixou de ser apenas um blog pessoal e se transformou na cara inicial da minha vida profissional. Assim, precisei dar uma cara mais profissional a ele.

Ao menos a página em português, tirei o blog da front page. Assim, só vão aparecer as páginas que eu selecionar. Os meus posts, como este, ficarão numa ala dedicada, com link no rodapé. Penso que devo recolocá-lo num futuro, mas por enquanto, o blog sairá da home. Outra vantagem é fazer com que as pessoas cheguem no rodapé, onde tem outras páginas relevantes. Talvez uma reorganização mais profunda deste rodapé seja necessária.

O título, fontes, cores, fundo… tudo mudou. Mas quero fazer deste site um hub para todos os outros conteúdos e sites. Este é o único lugar que tenho total controle e não disputo espaço com vídeos de gatos, dancinhas e outros políticos.

O meu blog, que sempre teve muito conteúdo em inglês, será normalmente mantido.

Aos ligados em tecnologia, ainda é feito em Hugo.

Instagram

A minha conta pessoal do insta começará a receber conteúdos profissionais. Eu tinha a ideia de ser purista e só conter coisas pessoais, como fotos de família e viagens, mas agora acredito que seja mais simples mesclar tudo.

O perfil do Instagram é de conteúdo mais casual. Não pretendo colocar conteúdos pesados lá. Com pessoas olhando fotos de pessoas viajando, animais e influencers, não vejo como uma plataforma para martelar propaganda.

Como diz Marcelo Vitorino, rede social não é espaço para discutir. É voltada para conectar amigos e entretenimento.

Twitter

Como um grande palco para se comentar qualquer coisa para qualquer um que esteja passando, o Twitter é mais adequado para os conteúdos polêmicos. É atualmente a minha rede social de menor quantidade de seguidores, mas costuma ser bem engajada.

Já que vou colocar praticamente todos os posts curtos, imagens e vídeos curtos que foram no Stories nas outras plataformas e sumiram em 24h.

Mastodon

Se você nunca ouviu falar nele, certamente não é o único. Tem a mesma proposta do Twitter mas é aberto e open source. Vou usar a mesma estratégia do primo rico, mas certamente só por teimosia, pois tenho praticamente nenhum seguidor.

WhatsApp e Telegram

As listas de distribuição e de discussão estão devidamente configuradas. Agora devo começar a atrair as pessoas para se ingressar. Não será o mesmo conteúdo do blog, certamente, pois serão conteúdos mais próximos das redes sociais, unido de calendários e conteúdos de engajamento.

Youtube

O hub de conteúdos longos. Estou gravando dezenas de vídeos e quero dar corpo ao canal. Além de conteúdos específicos de campanha eleitoral, tenho o plano de publicar muita coisa educacional, mais perene. Será um dos legados desta eleição.

Tem a possibilidade de ter lives, que pode ser uma excelente ferramenta para comunicar com muitas pessoas.

Vou integrá-lo bastante no meu site.

Tiktok

Os principais vídeos que forem para o Instagram e no Youtube Shorts, virá aqui. Mas sequer sou usuário, quanto mais criados de conteúdo. Com o tempo, pode ser algo relevante.

Facebook

Tenho usado cada vez menos o Facebook nos últimos anos. Ao contrário das outras redes, ele tem um recurso de página institucional. Isso é ideal para criar páginas para empresas e também personas públicas, deixando nosso perfil apenas para os amigos reais.

Tenho o username @brMASSA a muitos anos, mas resolvi deixar este username para a página pública. Entretanto, o Facebook me passou uma rasteira: ao desvincular minha página pessoal deste username, ele trancou este nome para outros usos. Assim, perdi ele para uso pessoal e tive que adotar outro para a página pública.

Também descobri o quão merda é seu serviço de atendimento ao cliente. Na verdade, é inexistente. Não tem como falar com ninguém lá dentro para ver se resolve meu problema. Mais um motivo para diminuir seu uso.

Entretanto, ainda tem muitas pessoas (muitas mesmo) que só usam o Facebook como rede social, então fica imprescindível. Assim, os links são @brMASSApesssoal e @brMASSAfb

Bruno 𝕄𝔸𝕊𝕊𝔸