Português English
Filmes de 2023 feature
2023.12.31

Filmes de 2023

PortuguêsEnglish

A cada ano, tento compilar uma lista de jogos, livros e filmes que experimentei. Para a lista completa, confira as Avaliações. Lá vamos nós (ordenados por classificação e depois alfabeticamente)!

OBSERVAÇÃO: Acredito que esta lista seja a mais incompleta. Provavelmente farei adições de tempos em tempos.

  1. Esqueceram de Mim (10★★★★★★★★★★): Um clássico de Natal. Estava na TV e me prendeu. Adoro.
  2. Everything Everywhere All at Once (9★★★★★★★★★): Sem dúvida, o melhor filme no geral. É uma experiência encantadora e instigante. Os atores chineses entregam uma atuação INCRÍVEL. Eu votaria para melhor atriz, melhor ator coadjuvante e atriz coadjuvante. Sem mencionar os louváveis efeitos visuais e escolhas de figurino. A variedade de trajes que brevemente apareceu na tela é impressionante.
  3. Moulin Rouge: Um banquete sensorial servido com um deslumbrante vestido de paixão parisiense. Este filme te envolve em uma valsa vertiginosa de amor e perda, pintando uma obra-prima no quadro do seu coração.
  4. The Wonderful Story of Henry Sugar (9★★★★★★★★★): Uma incrível história curta de #RoaldDah. Bem estilo Wes Anderson.
  5. Air (8★★★★★★★★): Um “documentário” legal, não ótimo, contando a história dos gerentes da Nike criando seu produto mais famoso e lucrativo até hoje: os tênis Air Jordan.
  6. Poison (8★★★★★★★★): Outra ótima história curta de #RoaldDah adaptada por Wes Anderson.
  7. The Rat Catcher (8★★★★★★★★): A história curta mais louca de #RoaldDah adaptada por Wes Anderson. Muito boa também.
  8. The Swan (8★★★★★★★★): A história curta mais curta de #RoaldDah adaptada por Wes Anderson. Muito boa.
  9. Triangle of Sadness (8★★★★★★★★): Meu filme favorito do Oscar 2023. Apesar de não ter chance de ganhar, é uma sátira social ácida que certamente fará você coçar a cabeça. É uma piada recorrente na minha família sobre o gosto pela escatologia, e o filme entrega.
  10. The Remains of the Day (8★★★★★★★★): Hopkins é um ator incrível, ponto final. Apenas dois anos após ganhar o Oscar por Hannibal em O Silêncio dos Inocentes, agora ele é um mordomo de maneira muito Downton Abbey, o que permitiu que ele conrresse (mas não ganhasse) sua segunda estatueta dourada.
  11. All Quiet on the Western Front (7★★★★★★★): As cenas de abertura mostrando os rapazes ansiosos para participar da guerra contrastando com os primeiros momentos no campo são uma verdadeira lição. No entanto, o filme é uma série de contos de infortúnios fundidos.
  12. Elvis (7★★★★★★★): Austin Butler, o ator que interpreta Elvis, entrega uma atuação de primeira. No entanto, o personagem de Tom Hanks é meio irritante. O filme tem uma primeira metade forte e uma segunda arrastada. Está a um passo de ser um documentário, mas ainda assim é agradável.
  13. Glass Onion A Knives Out Mystery: Indicado para melhor Roteiro Adaptado. Agora estou curioso sobre o texto original. Pode ser bom. Novamente, ainda é um zoológico de personagens com um detetive entediante.
  14. The Greatest Show (7★★★★★★★): Musical legal. Ótima atuação de Hugh Jackman, mas falta o charme para ser um concorrente de Moulin Rouge.
  15. Top Gun Maverick: Uma sequência divertida que aproveita o filme original. Ótimos visuais, boa história.
  16. Luckiest Girl Alive (6★★★★★★): Esperava uma ótima história, mas tive dificuldade em engolir sua protagonista e seu mistério.
  17. The Menu (6★★★★★★): Uma entrada tentadora de intriga, ligeiramente cru na trama principal. No entanto, a sobremesa das atuações salva essa refeição cinematográfica de ser completamente esquecível.
  18. Avatar 2: Ruim.
  19. The Mummy 2017: Ruim.

Documentários

  1. Vale o que esta Escrito: O melhor documentário do ano tem foco brasileiro. Trata-se da Máfia do jogo no Rio de Janeiro.
  2. Navalny (7★★★★★★★): Um documentário arrepiante tão angustiante quanto um thriller da Guerra Fria, mas repleto da realidade áspera da política russa moderna. É como um copo de vodka puro, sem misturas.

Animações

  1. Guillermo del Toros Pinocchio: Uma adorável adaptação. É um pouco seco no departamento de narrativa, com desvios abruptos na história (principalmente devido ao material de origem), mas gostei.

TV

  1. The Last of Us S1: Uma ótima série, muito próxima ao material de origem, até onde eu sei (nunca joguei os jogos). Outro ótimo roteiro de Craig Mazin. Sou fã de seu trabalho desde que comecei a ouvir seu podcast ScriptNotes há muito tempo.
  2. Cyberpunk Edgerunners (7★★★★★★★): Surpreendentemente bom e transmite um pouco da sensação imaginada do jogo e do universo Cyberpunk.
  3. Only Murders In The Building S3: Algumas pessoas gostaram desta temporada, mas achei apenas ok. Melhor do que a segunda, com personagens memoráveis, mas a premissa é muito restrita, impedindo um crescimento natural. O personagem da Selena é 100% irrelevante.
  4. Succession S4: A harmonia familiar e a habilidade nos negócios continuam a degradar, em suas trajetórias conhecidas. Mas depois de tantos escândalos, isso se torna cada vez menos crível. Além disso, se arrasta mais que o necessário. Pelo menos, termina em uma nota alta.
  5. Ted Lasso S3: Uma terceira rodada de artimanhas calorosas no futebol com uma sequência vitoriosa de compaixão e triunfos do azarão. É como uma caixa de biscoitos favoritos; você simplesmente não consegue resistir a querer mais.
  6. The Rings of Power S1: A Amazon investiu muito, mas o roteiro não é inspirado. Muito ruído branco, com personagens que não fazem muito, nem influenciam a história. O ponto alto, é claro, é a revelação final.

Bruno MASSA